Gabrielle Spiegel, “História, Memória e os Imperativos Éticos da Escrita da História no Mundo Contemporâneo”, INTH Conference 2013

“Em minha perspectiva, o historiador não é o guardião da memória, mas um crítico do passado, seja recente ou distante, e abandonar a historiografia enquanto um empreendimento crítico seria descartar o jogo em sua totalidade.” Trecho da fala da prof. Spiegel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s