“Pesquisa histórica e relevância social da historiografia: interesse, continuidade e responsabilidade como problemas para o historiador do século 21” – ANPUH 2015

Os professores Estevão Martins (UnB) e Sérgio da Mata (UFOP) organizam a sessão 109 do XVIII Simpósio Nacional de História, intitulada “Pesquisa histórica e relevância social da historiografia: interesse, continuidade e responsabilidade como problemas para o historiador do século 21”. Trata-se da segunda de duas mesas ligadas aos problemas da teoria e história da historiografia, e conta com contribuições interessantes ao tema. Segue a programação conforme o caderno do evento.

28/07, terça-feira, das 14h às 18h

  • “A construção da Identidade Européia no Pós II Guerra: os discursos da destruição e da reconstrução”, por Luiz Fernando Castelo Branco Rebello Horta (UnB)
  • “Analítica das fontes e síntese historiográfica: problemas e vieses da pesquisa histórica”, por Alexandro Neundorf (PUC-PR)
  • “Arruinar uma boa história com demasiada pesquisa. Reflexões sobre uma disposição ética fundamental à historiografia”, por Arthur Oliveira Alfaix Assis (UnB)
  • “Bildung, história e identidade no Círculo de Stefan George”, por Walkiria Oliveira Silva (UnB)
  • “Do Esquecimento Institucionalizado ao Enfrentamento de seus Legados: anistia e responsabilidade histórica”, por Johnny Roberto Rosa (USP)
  • “Eticização da economia política histórica antes de Thomas Piketty: o caso Gustav Schmoller”, por Sérgio da Mata (UFOP)
  • “Reflexões acerca da função educadora dos museus da Resistência na Europa”, por Denise Rollemberg (UFF)
  • “Uma crítica ao conceito da experiência traumática e as possibilidades de definição de um evento-limite: comentários sobre “É isto um homem?”, de Primo Levi”, por Pedro Spinola Pereira Caldas (Unirio)
  • “Historiar pensamento”, por Pablo Spíndola (UFRRJ)

29/07, quarta-feira, das 14h às 18h

  • “A construção de uma abordagem. Françoise Choay e seu horizonte historiográfico em 1970”, por Priscilla Alves Peixoto (UFRJ)
  • “A Contribuição da Ciência da História na compreensão de políticas públicas educacionais: uma análise do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI)”, por Suseli Cristiane Alves Camilo (UTFPR)
  • “Historiadores franceses entre a cátedra e a vida pública (1870-1940)”, por Sabrina Magalhães Rocha (UFOP)
  • “Historiografia e história da historiografia: alguns apontamentos”, por Cecília Siqueira Cordeiro (UnB)
  • “Liberté pour l’histoire e a tirania da memória”, por Denise Scandarolli (Unicamp)
  • “Teoria da história na Didática da história para a escolarização básica no século XIX: as soluções do historiador espanhol Ignacio Ramón Miró (1821-1892)”, por Analice Alves Marinho Santos (UFS)
  • “Entre o elogio e a crítica: Os “intérpretes do Brasil” na ótica dos historiadores (1920-1970)”, por Diego José Fernandes Freire (UFRN)

31/07, sexta-feira, das 8h às 12h

  • “A Geschichtsdidaktik de Jörn Rüsen como uma possível resposta para o problema da responsabilidade social do historiador no séc. XXI”, por Vitória de Abreu
  • “A questão da eticidade no pensamento histórico de Hegel e Ranke”, por Renato Paes Rodrigues (UFOP)
  • “Há de se melhorar o ontem e criar novas possibilidades para o amanhã: sentido e trauma na teoria da história de Jörn Rüsen”, por Caio Rodrigo Carvalho Lima (UnB)
  • “Políticas públicas e governança da educação: a constituição da História como disciplina em Moçambique”, por José Gil Vicente (UNIVERSO)
  • “As primeiras contribuições do projeto Jovens e a História”, por Wilian Carlos Cipriani Barom (UEPG)
  • “Jogos Digitais: metodologias para o Ensino de História”, por Reinaldo Benedito Nishikawa (IFPR)
  • “Filtro historiográfico: cartas de Vilhena pela leitura de Braz do Amaral”, por Amélia Saback Alves Neta (UFBA)

31/07, sexta-feira, das 14h às 18h

  • “A pesquisa em história no Brasil. Apontamentos sobre a pós-graduação na última década (2002-2012)”, por Carine Silva Muguet (UFRJ)
  • “A Revista Brasileira de História – RBH e a (re)definição dos lugares de produção da historiográfica nacional na década de 1980”, por Wagner Geminiano Dos Santos (UFPE)
  • “Formatos alternativos de difusão em história pública”, por Ricardo Santhiago (UFF)
  • “Intelectuais, artigos e regiões”, por Bruna Silva (Unioeste)
  • “Análise de microcontextos – Considerações acerca de depoimentos de comunidades presentes no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), Ceará”, por Danilo Eiji Lopes (Museu da Pessoa)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s